CC-BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ginecol Obstet 2017; 39(11): 596-601
DOI: 10.1055/s-0037-1606859
Original Article
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Parameters Associated with Adverse Fetal Outcomes in Parvovirus B19 Congenital Infection

Parâmetros associados a desfechos fetais adversos na infecção congênita pelo parvovírus B19Isabela Karine Rodrigues Agra1, Antonio Gomes Amorim Filho1, Lawrence Hsu Lin1, Sckarlet Ernandes Biancolin1, Rossana Pulcineli Vieira Francisco1, Maria de Lourdes Brizot1
  • 1Hospital das Clínicas - Department of Gynecology and Obstetrics, Obstetrics Discipline, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brazil
Further Information

Publication History

25 March 2017

30 August 2017

Publication Date:
25 September 2017 (eFirst)

Abstract

Objective To investigate the clinical and sonographic parameters associated with adverse fetal outcomes in patients with congenital parvovirus B19 infection managed by intrauterine transfusion.

Methods This was a single-center retrospective study conducted from January 2005 to December 2016 that assessed patients with singleton pregnancies with fetal parvovirus infection confirmed by a polymerase chain reaction of the amniotic fluid or fetal blood samples who underwent at least one intrauterine transfusion. The maternal characteristics, sonographic findings and parameters related to intrauterine transfusion were compared between the two groups (recovery/non-recovery), who were categorized based on fetal response after in-utero transfusions. Progression to fetal death or delivery without fetal recovery after the transfusions was considered non-recovery and categorized as an adverse outcome.

Results The final analysis included ten singleton pregnancies: seven of which were categorized into the recovery group and three of which into the non-recovery group. The baseline characteristics were similar between the groups. All fetuses were hydropic at the time of diagnosis. No significant differences related to sonographic or intrauterine transfusion parameters were identified between the groups; however, the non-recovery group tended to have an increased number of sonographic markers and lower fetal hemoglobin and platelet levels before the transfusion.

Conclusion We were unable to firmly establish the clinical or sonographic parameters associated with adverse fetal outcomes in patients with parvovirus infection managed with intrauterine transfusions; however, edema, placental thickening and oligohydramnios may indicate greater fetal compromise and, subsequently, adverse outcomes. However, further studies are necessary, mainly due to the small number of cases analyzed in the present study.

Resumo

Objetivo Investigar os parâmetros clínicos e ultrassonográficos associados ao desfecho fetal adverso em pacientes com infecção congênita por parvovírus B19 manejada por meio de transfusão intrauterina.

Métodos Trata-se de um estudo retrospectivo de um único centro realizado entre janeiro de 2005 e dezembro de 2016, que avaliou pacientes com gestação única com infecção fetal por parvovírus confirmada por reação em cadeia da polimerase de líquido amniótico ou amostras de sangue fetal submetidas a pelo menos uma transfusão intrauterina. As características maternas, os achados ultrassonográficos e os parâmetros relacionados à transfusão intrauterina foram comparados entre os dois grupos (recuperação/não recuperação), que foram categorizados com base na resposta fetal após transfusão intrauterina. A progressão para morte fetal ou parto sem recuperação fetal após transfusões foi considerada não recuperação, e categorizada como um desfecho adverso.

Resultados A análise final incluiu dez gravidezes únicas: sete foram categorizadas no grupo de recuperação, e três, no grupo de não recuperação. As características basais foram semelhantes entre os grupos. Todos os fetos estavam hidrópicos no momento do diagnóstico. Não foram identificadas diferenças significativas entre os grupos em relação aos parâmetros ultrassonográficos ou os das transfusões intrauterinas; Entretanto, o grupo de não recuperação tendeu a ter um número aumentado de marcadores ultrassonográficos e níveis mais baixos de hemoglobina e plaquetas fetais antes da transfusão.

Conclusão Não foi possível estabelecer firmemente os parâmetros clínicos ou ultrassonográficos associados ao desfecho fetal adverso em pacientes com infecção por parvovírus manejada por meio de transfusões intrauterinas. Entretanto, edema de pele, espessamento placentário e oligoidrâmnio podem indicar maior comprometimento fetal e, posteriormente, desfechos fetais adversos. No entanto, estudos adicionais são necessários, principalmente devido ao pequeno número de casos analisados neste estudo.