CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2021; 56(02): 205-212
DOI: 10.1055/s-0039-1697972
Artigo Original
Ombro e Cotovelo

Bristow artroscópico: Avaliação da segurança e da eficácia, 12 anos de experiência[*]

Article in several languages: português | English
1  Grupo de Ombro, Núcleo Avançado de Estudos em Ortopedia e Neurocirurgia (Naeon), São Paulo, São Paulo, Brasil
› Author Affiliations

Resumo

Objetivo O procedimento de Bristow aberto é um método há muito estabelecido e eficaz no tratamento da instabilidade anterior do ombro. Seguindo as tendências das cirurgias minimamente invasivas, essa cirurgia foi realizada por artroscopia, e seus resultados foram avaliados.

Métodos Foram avaliados 43 ombros de pacientes submetidos ao procedimento de Bristow por artroscopia, com o enxerto em posição horizontal e uso de um parafuso, com pelo menos dois anos de seguimento pós-cirúrgico, por meio de escores qualidade de vida, índice de reluxação e perda de rotação lateral.

Resultados A média de seguimento foi de 76 meses (variando de 129 a 24 meses), e o escore da University of California at Los Angeles (UCLA) variou de 25,56 ± 0,50 (desvio padrão [DP] = 3,25) para 33,23 ± 0,44 (DP = 2,91) (p < 0,0001). A média para o escore de Rowe com 2 anos ou mais de cirurgia foi de 94,25 ± 1,52(DP = 1,34), sendo que o padrão de bons resultados é de 75 pontos (p < 0,0001). A média do teste simples de ombro foi de 11,35 ± 0,21 (DP = 1,34), e, para perda de rotação lateral, foi de 10,37° ± 1,36° (DP = 8,58°). Não houve reluxações.

Entre os 43 pacientes operados, ocorreram um total de 12 complicações, das quais 8 não apresentaram qualquer repercussão clínica. As complicações com repercussão clínica foram uma infecção de possível origem hematogênica seis meses após a cirurgia, uma fratura do coracoide que fez com que o paciente precisasse mudar o procedimento no intraoperatório, e dois pacientes com impacto anterior, que necessitaram de retirada de material de síntese mais de seis meses após a cirurgia.

Conclusão O procedimento de Bristow artroscópico mostrou eficácia no tratamento da instabilidade anterior do ombro, embora não seja livre de complicações.

* Trabalho feito no Grupo de Ombro, Núcleo Avançado de Estudos em Ortopedia e Neurocirurgia (Naeon), São Paulo, São Paulo, Brasil.




Publication History

Received: 21 January 2019

Accepted: 18 July 2019

Publication Date:
13 December 2019 (online)

© 2019. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. This is an open access article published by Thieme under the terms of the Creative Commons Attribution-NonDerivative-NonCommercial License, permitting copying and reproduction so long as the original work is given appropriate credit. Contents may not be used for commercial purposes, or adapted, remixed, transformed or built upon. (https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/)

Thieme Revinter Publicações Ltda.
Rua do Matoso 170, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20270-135, Brazil