CC BY-NC-ND 4.0 · Arq Bras Neurocir 2011; 30(04): 151-157
DOI: 10.1055/s-0038-1625630
Artigos Originais
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Traumatismo cranioencefálico e sua associação com uso de canabinoides e cocaína: experiência de hospital universitário brasileiro

Traumatic brain injury and its association to marijuana and cocaine use: a Brazilian university hospital experience
José Weber Vieira de Faria
,
Cláudio Márcio Silva de Souza
,
Sérgio de Andrade Nishioka
,
Guilherme Leonel Arbex
,
Gustavo Gil Alarcão
,
Wender Barbosa de Freitas
Further Information

Publication History

Publication Date:
11 January 2018 (online)

Resumo

Objetivo: Este estudo objetivou identificar aspectos da epidemiologia dos traumatismos cranioencefálicos (TCEs) moderados e graves dos pacientes admitidos no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia, bem como sua associação com consumo de cocaína e canabinoides. Métodos: Para isso, foram coletados dados prospectivos sobre 139 vítimas assistidas nesse hospital, todas com idade igual ou superior a 18 anos. Os acidentes de transporte responderam pelo maior número de vítimas, seguidos daquelas pessoas que sofreram quedas acidentais. Resultados: Do total de pacientes avaliados, 84 (com casos de TCE moderado, grave e mesmo leve) tiveram amostra de urina coletada para detecção de maconha e cocaína. Os exames foram positivos para maconha em 8,2% dos pacientes e em 13,9% para cocaína. Conclusão: Não foram vistas diferenças significativas no tocante ao sexo e à idade, bem como à atividade realizada no momento do trauma. A maioria dos atendimentos desses pacientes, no entanto, se deu no período noturno. A alta frequência de consumo de substâncias ilícitas associada aos TCEs evidencia a importância de se incluírem esses dados quando da realização de estudos acerca desse tipo de traumatismo, bem como aponta para um problema de saúde pública.

Abstract

Objective: This study aimed at identifying epidemiological aspects of moderate and severe traumatic brain injury (TBI) of patients who were admitted at the Clinics Hospital of the Federal University of Uberlândia, as well as its association with marijuana and cocaine intake. Methods: Prospective data were collected from 139 assisted patients, all of them aged 18 or more years. Traffic accidents were responsible for the greatest number of victims, followed by accidental drops. Results: Eighty-four patients (including moderate, severe and even light TBI) had a urine sample evaluated for the presence of marijuana and cocaine. Marijuana positive tests were found in 8.2% of patients, and there were 13.9% for cocaine. Conclusion: No significant differences were seen concerning age and sex, neither for the activity performed at the trauma time. However more patients were admitted at the hospital at night time. The high frequency of consumption of these illegal stuff associated with TBI shows the importance of having this information while performing trials about this kind of trauma. It also indicates this is public health problem.

1Chefe do Serviço de Neurocirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, médico pesquisador e pós-graduando da Universidade de São Paulo (USP), SP, Brasil.


2Médico-residente do Serviço de Neurocirurgia da Faculdade de Medicina da UFU, MG, Brasil.


3Professor-assistente do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFU, MG, Brasil.


4Médico-assistente do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da UFU, MG, Brasil.