Arq Bras Neurocir
DOI: 10.1055/s-0036-1594303
Case Report | Relato de Caso
Thieme Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Paracoccidioidomicose brasiliensis em sistema nervoso central

Paracoccidioidomycosis brasiliensis in Central Nervous System Paulo Moacir Mesquita Filho1, Agatha Hofmann2, Fernanda De Carli2, Moisés Augusto Araújo1, 3, Richard Giacomelli1, 3, Gregori Manfroi2, Elizabeth Leal2, Bruna Bley Mattar Isbert2, Daniela Schwingel4
  • 1 Serviço de Neurologia e Neurocirurgia (Neurology and Neurosurgery Service - SNN), Passo Fundo, RS, Brasil
  • 2 Liga Acadêmica do SNN (LASNN); Escola de Medicina da Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil
  • 3 Departamento de Neurocirurgia, Hospital da Cidade de Passo Fundo, Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil
  • 4 Instituto de Patologia de Passo Fundo, Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil
Further Information

Publication History

27 July 2016

04 October 2016

Publication Date:
21 December 2016 (eFirst)

Resumo

A paracoccidioidomicose é uma micose sistêmica, endêmica na América Latina, causada pelo fungo Paracoccidioides brasiliensis. O Brasil é o país com maior número de casos. A afecção do sistema nervoso central (SNC), condição potencialmente fatal, ocorre em torno de 12% dos casos. Identificam-se as seguintes formas de apresentação: meníngea, mais rara; meningoencefálica; e pseudotumoral, mais frequente. Os exames de imagem são fundamentais no auxilio diagnóstico, porém a identificação histológica do fungo é necessária para confirmação. O quadro clínico depende da localização no neuroeixo. Apresentamos o caso de um homem, trabalhador rural, com formações expansivas no SNC, compatíveis com paracoccidioidomicose.

Abstract

Paracoccidioidomycosis is a systemic mycosis, endemic in Latin America, caused by the fungus Paracoccidioides brasiliensis. Brazil is the country with the highest number of cases. The affection of the central nervous system (CNS), a potentially fatal condition, occurs in ∼12% of cases. The following forms of presentation are identified: meningeal, unusual, meningoencephalitis and pseudotumoral the latter two being more frequent. Imaging tests are essential in diagnostic, but the histological identification of the fungus is required for confirmation of the pathology. The clinical picture depends on neuraxial location. We present a case report of a male rural worker, with expansive lesions in the CNS, compatible with paracoccidioidomycosis.